Arte, cinema, Cultura, Sandra Barbosa de Oliveira

Uma delícia chamada “Divã”

Vale uma entrada só para registrar uma delícia chamada “Divã”.

Gostaria de parabenizar elenco e  produção pelo empenho e  excelente resultado que está sendo apresentado nos cinemas, o que reafirma a qualidade da produção nacional, que já não fica longe de estar entre as melhores do mundo.

Com  adaptação e roteiro  amarradíssimos por  Marcelo Saback, o texto é divertidíssimo e a atuação de Lilia Cabral impecável merece um Oscar ! Elenco maravilhoso…nota mil !!!!!!!!

Orgulhosamente:  Parabéns cinema nacional.

Anúncios
ciências políticas, Ciências Sociais, comportamento, filosofia, reflexão, Sandra Barbosa de Oliveira

Só para refletir…

São Jorge que me perdoe… mas têm coisas  urgentes a serem discutidas neste país e que  andam  um tanto esquecidas.  Mas também, não é de hoje…

Num país como o nosso, de dimensão territorial, diversidade cultural e religiosa, precisamos nos ater ao que representam os feriados, sejam eles nacionais, estaduais ou municipais, tanto para a economia quanto para a cultura.

Está virando moda, de uns tempos pra cá, emendarmos uma semana inteira por conta de feriados, sejam eles  religiosos, históricos, conceituais, políticos, emergenciais…ou o diabo a quatro…

Eu realmente acredito que nossas crianças devam aprender a respeitar a cultura, nosso polêmico passado histórico, ou quaisquer mitos que por ventura suas famílias adotarem como crença religiosa… mas acho também que devemos transmitir a elas o senso de cidadania, ética e responsabilidade, respeito e generosidade, que não estão embutidos nos pacotes de feriados ou de finais de semana prolongados.

Que tal mudarmos a cultura da vagabundagem em pról de  ideologias mais produtivas, mais realizadoras e representativas que nos tragam um bom retorno sob o ponto de vista humano, do que simplesmente cultuar uma tradição religiosa ditada por homens nem um pouco escrupulosos que não saem de seus tronos, nem arregaçam suas mangas pra ajudar efetivamente seus vizinhos, nem mesmo diante de  estrondosas catástrofes ?…

Sugiro tirarmos uma única semana anualmente, para que cada um possa se dedicar  àquilo em que acredita de verdade, seja lá o nascimento ou a morte de um  messias, o respeito à virgem sua mãe, à todos os homens e mulheres santos e márteres, entidades ou simbologismos de qualquer espécie, respeitando todos os grandes feitos históricos, e todas as religiões como também aqueles que, por ventura  escolherem permanecer fora delas.

Por que não efetivarmos a semana do meio ambiente, o dia da árvore, do ar, da água ?… que deverá ser  nossa escolhida e útil religião prum futuro muito próximo…  Será que não está na hora de voltarmos a reverenciar o deus  sol, a mãe lua, a deusa água, a virgem floresta, a sagrada Terra ?…

Por que não aderirmos à semana sem carro, sem lixo, sem poluição… sem violência, sem discórdias, inclusive as religiosas,  se é disso que depende o futuro de nossas  crianças ?…

Por que não instituirmos a semana da ética, da cidadania, do “bom caratismo”, da benevolência, da doação ?…

Por que não a paciência e a tolerancia citadas pelo Dalai Lama em detrimento da onipotência e arrogância ditadas por opressores através da excomunhão ?…

Por que não efetivarmos a semana santa da caridade, da vida sem fome, sem aids… sem armas ?…

Por que não efetivarmos com toda a nossa fé o uso da camisinha, já que vem sendo demosntrado que nossa vida afetiva e nossa sexualidade  estão passando por momentos de vulnerabilidade da qual não escapam nem os mais solenes representates da Santa Sé  que pouco a pouco, estão sendo desmascarados  por denúncias de pedofilia, estupros e relacionamentos nem um pouco condizentes ao seu ofício celibatário ?…

Por que dizer  “não” ao aborto se sua prática é uma triste e arriscada realidade…e  “sim”  à mortalidade infantil…  à fome, à falta de instrução, à vida  sem o mínimo de dignidade ?…

Será que foi isso mesmo que Ele veio nos ensinar ?…  Será que crianças não deveriam ter melhor qualidade de vida do que a miséria a que estão condenadas por todos os continentes do planeta?…

Ora, ora….por todo o sincretismo….  nós não precisamos de tantos feriados….o que precisamos é  elevar o pensamento aos céus para pedir por decência !!!!!!!!!!!!!!!!!!

Sandra Barbosa de Oliveira

Só agora, por falta de tempo…

… Mas sem deixar passar…

Gosto de escrever sobre arte, momentos, amor, coisas leves, suaves…mas tem coisa que a gente não pode deixar passar.

E essa coisa se chama “indignação”.

Minha indignação está latente desde os habbeas corpus concedidos pelo Supremo Tribunal Federal no caso Daniel Dantas. Um caso que me gerou muitas dúvidas a respeito da credibilidade da instituição.

Eu acho que faço parte de uma das últimas gerações que conseguiu receber um ensino público de qualidade, no início dos anos 70, ainda no curso ginasial, mediante o pagamento do preço de receber, obrigatoriamente, as aulas de educação moral e cívica  ministradas pelo governo Médici com a intenção de impossibilitar qualquer tipo de liberdade cognitiva. O que nos fez então, romanticamente, acreditar nas instituições.

No Caso de Dantas, a indignação ficou a cargo da dimensão das atitudes tomadas pelo Supremo Tribunal para tirar o verdadeiro foco do caso, corrupção ativa, roubo, formação de quadrilha, evasão de divisas, tentando reverter a ira da opinião pública para o trabalho realizado pela polícia federal, mandando prender delegados envolvidos no caso, etc, etc.

Proibiu-se, então,  o uso de algemas para bandidos de qualquer natureza alegando-se preocupação com a exposição pública do cidadão e proteger assim a imagem dos marginais de colarinho branco, que tendem a ser  os  mais temidos no país, por ordem da … impunidade…

Vale aqui lembrar também o caso Daslu… entre muitos, muitos  outros…  todos acobertados pelos tribunais de justiça…mas que justiça é essa, malandro ????