O ponteiro

O relógio bate às 5, na alma do poeta…
e é com os olhos ainda cerrados,
quase psicografados,
que nascem os poemas
e as ideias.

Como nascem as manhãs

O dia jorra orvalhado
como uma nascente
ao nascer do sol…

E é sempre assim
que brotam as palavras
no alvorecer do pensamento
do poeta

Com a chegada do ponteiro menor
ao 5
a mente do poeta brilha
enquanto as estrelas se retiram
lentamente
para iluminar os poemas
de outro fuso…

Como é bom o despertar das palavras
logo às 5 da manhã.

Anúncios

Elemento Língua

A Paz
Gilberto Gil

A paz invadiu o meu coração
De repente, me encheu de paz
Como se o vento de um tufão
Arrancasse meus pés do chão
Onde eu já não me enterro mais

A paz fez um mar da revolução
Invadir meu destino; A paz
Como aquela grande explosão
Uma bomba sobre o Japão
Fez nascer o Japão da paz

Eu pensei em mim
Eu pensei em ti
Eu chorei por nós
Que contradição
Só a guerra faz
Nosso amor em paz

Eu vim
Vim parar na beira do cais
Onde a estrada chegou ao fim
Onde o fim da tarde é lilás
Onde o mar arrebenta em mim
O lamento de tantos “ais”

Ver o post original