O ponteiro

O relógio bate às 5, na alma do poeta…
e é com os olhos ainda cerrados,
quase psicografados,
que nascem os poemas
e as ideias.

Como nascem as manhãs

O dia jorra orvalhado
como uma nascente
ao nascer do sol…

E é sempre assim
que brotam as palavras
no alvorecer do pensamento
do poeta

Com a chegada do ponteiro menor
ao 5
a mente do poeta brilha
enquanto as estrelas se retiram
lentamente
para iluminar os poemas
de outro fuso…

Como é bom o despertar das palavras
logo às 5 da manhã.

Anúncios

Um comentário em “O ponteiro

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s