Branca neve

que do frio
estremece em céu aberto
e na cabana escura
aquece a pele fria
em busca de aconchego
como quem no vinho
busca o seu abrigo
em gélidas taças
transparentes lisas
o que do teu olhar
transparente liso
ao derramar
o azul do céu
nos meus azuis abertos
vem denunciar
a este amor tranquilo
a fragilidade na tua incerteza

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s