Sandra Barbosa de Oliveira 2

o poeta em mim

*

Abro janelas e portas em mim

e me espio e saio e me tranco

Trancafiar-me em minhas razões

me dói mais do que não tê-las

As trancas e as trincas de mim

me comprimem e me dilatam

Se me tranco eu não sei

se estou dentro

ou se estou fora.

(Sandra Barbosa de Oliveira)

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s