Medo

Tenho medo. Medo paralisante de mandar imprimir um papel. Não sinto medo de subir num trem. Ando quilometros e quilometros tentando adivinhar um idioma mas sigo em frente. Me comunico, entro e saio de museus, mas tenho medo de números, de voz alta e cara feia. Gritos me estremecem. Ir me ascende ao caminho que quero. Talvez não voltar me evolua. O que quero é subir e descer de trens. E aprender nas paisagens que agora eu posso ser livre. Que ninguém vai me machucar nunca mais!

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s