sobras

dos amores que tive
ao transpor do tempo,
posso dizer que…

da imensidão
eu tirei os teus olhos
e por mais que por horas te olhe
te beijar
por ora, é meu desejo

sem muitas palavras,
eu posso cantar tua música
meio desafinada em dó
mas carrego comigo
o La maior
com sétima maior e 13ª
Amaj7(¹³)

você dizer que me adora é pouco
diante da dimensão do presente que dei
se adorasse
as florezinhas do silêncio
não seriam pra mim

mesmo te sendo uma mulher impossível,
eu te aceitaria em oração
porque o poema
que você fez pra mim
me fez derramar em você

teu querer adolescente
me refletiu tua vida
inteira
porque você permaneceu estático

ao segurar minha mão
no teu rosto
senti teu amor
brotar do teu leito de morte

se não consigo ficar calada
é porque um silêncio
sem sentido
me instiga
a querer mais

ter começado com você
me facilitou compreender
porque a tua morte
me deixara assustada

se não fui pra Paris
foi porque o futuro
te aguardava por aqui

meu desejo infantil
transformou minha vida
apesar de você,
com pesar

tuas mãos que como penas
dançaram ao vento
eu contemplei
por uma vida

pude te sentir
e refletir
naquilo que nunca existiu
mas a fantasia acaba

minha meninice
brincou de correr com você
mas eu cheguei na tua frente
e bati

você me chamou
pra brincar de roda
mas tem medo
de pegar na minha mão

E essas são as tuas sobras…
meras palavras.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s