Ternura é o nome do poema (improviso)

Que deste meu coração pulsante,
te derrame o veneno nos olhos,
para que cego,
possas te afogar nos teus erros.

E que venha a ti a serenidade na voz do poeta
E que na ternura do seu acalanto
venha-te o conforto do adormecer de outrora,
daqueles olhos que te derramaram céu!

Anúncios

Um comentário em “Ternura é o nome do poema (improviso)

  1. Sandra…nós somos almas gêmeas… encontradas não sei em que lugar. Fiz ontem algo parecido com um poema que se intitulava “ternuras”…Quer ver? Vou publicar primeiro aqui e depois colocar no meu blog…Beijo irmã….
    Ternuras
    E rindo eu fui por ir
    Tentando reviver
    Da morte do amor
    Que nunca morre
    De tanto sofrer quedas d’água
    Mergulhando nas ternuras de você
    Que fisgou meu coração nos anzóis da sua emoção
    Que me prendeu nos fios de náilon da sua rede de arrastão
    E nas cordas do seu violão
    Que um dia já solou pra mim
    E nunca só pra mim

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s